quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

4 DE DEZEMBRO - Eparrei Oyá

O maior e mais importante rio da Nigéria chama-se Níger, é imponente e atravessa todo o país. Rasgado, espalha-se pelas principais cidades através de seus afluentes por esse motivo tornou-se conhecido com o nome Odò Oya, já que ya, em iorubá, significa rasgar, espalhar. Esse rio é a morada da mulher mais poderosa da África negra, a mãe dos nove orum, dos nove filhos, do rio de nove braços, a mãe do nove, Ìyá Mésàn, Iansã (Yánsàn).



Embora seja saudada como a deusa do rio Níger, está relacionada com o elemento fogo. Na realidade, indica a união de elementos contraditórios, pois nasce da água e do fogo, da tempestade, de um raio que corta o céu no meio de uma chuva, é a filha do fogo-Omo Iná.

A tempestade é o poder manifesto de Iansã, rainha dos raios, das ventanias, do tempo que se fecha sem chover.

Iansã é uma guerreira por vocação, sabe ir à luta e defender o que é seu, a batalha do dia-a-dia é a sua felicidade. Ela sabe conquistar, seja no fervor das guerras, seja na arte do amor. Mostra o seu amor e a sua alegria contagiantes na mesma proporção que exterioriza a sua raiva, o seu ódio. Dessa forma, passou a identificar-se muito mais com todas as actividades relacionadas com o homem, que são desenvolvidas fora do lar; portanto não aprecia os afazeres domésticos, rejeitando o papel feminino tradicional. Iansã é a mulher que acorda de manhã, beija os filhos e sai em busca do sustento.

O facto de estar relacionada com funções tipicamente masculinas não afasta Iansã das características próprias de uma mulher sensual, fogosa, ardente; ela é extremamente feminina e o seu número de paixões mostra a forte atracção que sente pelo sexo oposto. Iansã (Oyá) teve muitos homens e verdadeiramente amou todos. Graças aos seus amores, conquistou grandes poderes e tornou-se orixá.

Assim, Iansã tornou-se mulher de quase todos os orixás. Ela é arrebatadora, sensual e provocante, mas quando ama um homem só se interessa por ele, portanto é extremamente fiel e possessiva. Todavia, a fidelidade de Iansã não está necessariamente relacionada a um homem, mas às suas convicções e aos seus sentimentos.

Algumas passagens da história de Iansã relacionam-na com antigos cultos agrários africanos ligados à fecundidade, e é por isso que a menção aos chifres de novilho ou búfalo, símbolos de virilidade, surgem sempre nas suas histórias. Iansã é a única que pode segurar os chifres de um búfalo, pois essa mulher cheia de encantos foi capaz de transforma-se em búfalo e tornar-se mulher da guerra e da caça.

Oyá é a mulher que sai em busca do sustento; ela quer um homem para amá-la e não para sustentá-la. Desperta pronta para a guerra, para a sua lida do dia-a-dia, não tem medo do batente: luta e vence.

NICA PIMENTA

"Eparrei! Oyá,

Dona dos ventos, mensageira de Oxalá

Eparrei! bela Oyá

Saravá Santa Guerreira

Deusa do fogo e da luz

Minha Santa padroeira

Que meu destino conduz

Proteção para os teus filhos

Eparrei! Ó bela Oyá,

Moça rica da Umbanda

Venha nos abençoar

Eparrei! bela Oyá. "
-----------------------------------------------------------------------------
VEJA A HOMENAGEM DE MARIA BETHÂNIA A SUA MÃE IANSÃ:
video

3 comentários:

  1. AMEIIIIIIIIII É ISSO MESMO, SOU BEM ASSIM TAMBÉM FILHA DE QUEM SOU !! RSRSRSR EPARREI MINHA MÃE IANSÃ .
    VCS ESTÃO DE PARABENS Q NOSSO SENHOR (OXÁLA)ILUMINE TODOS NÓS.

    MARCIA SHIRLEY SALVE TODOS OS ORIXAS

    ResponderExcluir
  2. AMEI !!! É ISSO MESMO E POR SER FILHA DELA SOU BEM ASSIM EPARREI !! IANSÃN HA TODOS VCS MUITA AXÉ SALVE TODOS OS ORIXAS .

    ResponderExcluir